4 Verdades que matam uma Igreja

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. 2 Timóteo 4:2-4

Eu já fiz algumas viagens missionárias para países na África, e algo que me chamou atenção, foi ver pessoas morrendo por doenças que podem ser facilmente evitadas, como a cólera, infecção intestinal, entre outros, enfermidades causadas pela ingestão de  água suja ou até mesmo pela falta de higiene pessoal.

Uma igreja pode passar de saudável para doente, até a morte, se ela não se cuidar. Na última carta escrita por Paulo, ele olha para o futuro, vê uma igreja sendo destruída e nos avisa como aquilo aconteceria.

Precisamos no atentar para um detalhe crítico: essa igreja destrói a si mesma, assim como as pessoas que não se cuidam, levam à auto-destruição. A igreja não é fechada por causa da perseguição do governo; não é afligida pela pressão cultural e não sucumbe aos ataques de outra religião. Essa igreja é destruída por pessoas que dizem agir no nome de Jesus.

 

1º Verdade – REJEITE A VERDADE

Paulo avisa Timóteo que eles “se recusarão a dar ouvidos à verdade”. A primeira “verdade” que mata uma igreja é distanciar-se do que é verdade, perdendo o interesse na verdade como Deus a revela, cansando-se do que Deus diz que é verdadeiro e amável. O que uma vez foi amor pela verdade se torna agora um desagrado e desgosto em relação à verdade; o que antes era ódio ao erro se torna agora um interesse e fascínio pelo erro. Corações começam a endurecer.

 

2º Verdade – REJEITE QUEM FALA A VERDADE

Ao se distanciarem da verdade, eles necessariamente tornam-se contra quem diz a verdade. Então, Paulo avisa Timóteo que esse dia chegaria: “não suportarão a sã doutrina”.

Não é que as pessoas não saberão o que é verdade, mas que elas não vão mais suportar o que é verdadeiro.

Porque elas passaram a odiar a verdade, elas agora odiarão aqueles que proclamam a verdade. Os mesmos mestres que uma vez os atraíram, agora os repelirão.

3º Verdade –  ABRACE FALSOS MESTRES

A igreja rejeitou a verdade e aqueles que ensinam a verdade. E depois? É obvio e inevitável: eles abraçarão falsos mestres. “Cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos”. Conforme essas pessoas vão sendo endurecidas pelo pecado, conforme elas crescem em sua rebelião, desejarão ser guiadas por pessoas que as dizem aquilo que elas querem ouvir. Paulo usa uma ótima imagem para descrever isso: ouvidos coçando. Esses ouvidos anseiam a novidade, algo que de alguma forma será aceito pela sociedade e palatável ao mundo sem Deus. Eles prontamente encontrarão esse tipo de mestre que justificará seu afastamento da verdade e que validará a sua rebelião.

 

4º Verdade – ABRACE A FALSA DOUTRINA

Uma vez que eles rejeitaram a verdade e quem diz a verdade e uma vez que encontraram mestres que agradam os seus ouvidos, eles “entregar-se-ão às fábulas”. Agora eles abraçarão o erro, a completa heresia. Serão tão endurecidos em seus pecados que acreditarão que o erro é bom e verdadeiro. Serão tão iludidos e rebeldes que celebrarão o que Deus odeia e o farão no nome de Deus. Eles vaguearão, como ovelhas tolas indo para longe do bom pastor. O caminho estreito da salvação não deixa espaço para se vaguear, mas o caminho largo da destruição tem todo o espaço que eles precisam para vaguearem para cá e para lá.

E eles morrerão. No fim, aqueles que clamaram agir no nome de Cristo serão expostos como contrários a Cristo. Aquela igreja morrerá.

As pessoas desenvolveram coceiras nos ouvidos. Não mais apoiaram a sã doutrina e acumularam para si mesmos mestres que se encaixavam às suas próprias paixões. Se distanciaram da verdade e vaguearam em direção a mitos e fábulas.

A evidência desses mitos esta clara. As igrejas festejam o Carnaval (com seus blocos carnavalescos e abadás) e São João com suas fogueiras “santas”. Os pastores fazem “Cultos Ecumênicos” e depois celebram a Eucaristia tomando a hóstia. Cristo deixou de ser o único caminho para Deus, falar sobre santidade não esta “na moda”, as mensagens tomar a sua cruz e negar a si mesmo estão proibidas no meio “gospel”.

Dois mil anos atrás, Paulo escreveu para o jovem Timóteo e contou a ele exatamente como as igrejas morreriam. Ele também deu a Timóteo um dever que evitaria sua própria igreja de experimentar uma destruição similar e de hesitar com ouvidos coçando.  “Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério (II Tim. 4:5)”

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *