Halloween

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

HALLOWEEN

PARTICIPAR ou NÃO PARTICIPAR?

Pr. João Brito Nogueira

No dia 31 de Outubro Dia da festa “HALLOOWEEN ou Dia das Bruxas”. Dia escabroso, dia tenebroso, envolto em trevas espirituais. Um dia que comemora e exalta o que é tormentoso e pérfido.

Halloween ou Dia das Bruxas, é uma celebração popular de culto aos mortos comemorada anualmente no dia 31 de outubro. O termo tem origem na expressão em inglês “All Hallow’s Eve” (Véspera de Todos os Santos), pois é comemorado um dia antes do feriado de 02 de novembro.

Um dia dedicado a bruxarias, fortemente marcado por “festas à fantasia” que geralmente seguem a temática sombria de bruxas, zumbis, esqueletos, morcegos, caveiras etc.

O Halloween ou o Dia das Bruxas é o dia em que os pais vão ensinar seus filhos a brincar de serem bruxos (fazer bruxarias) usar fantasias que adotam a temática de monstros, espíritos tenebrosos e anjos do inferno.

Lembrem-se Pais e Mães o que a Bíblia nos ensina dizendo: “Instrui o menino no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

Em que caminho você está ensinando seu filho, quando você mesmo o incentiva a participar do Halloween ou do Dia das Bruxas? Está ensinando no Caminho da Fé em Deus ou nos Caminhos das Feitiçarias?

Há também vários ensinamentos danosos para as crianças embutidos em uma brincadeira aparentemente inocente que é chamada de: “trick or treat” que traduzido para o português é “Doces ou Travessuras”.

Esta brincadeira teve sua origem naGrã-Bretanha, mas foi popularizada nos Estados Unidos nos anos a partir de 1950.

É uma atividade voltada para crianças que, fantasiadas, batem de porta em porta perguntando “doces ou travessuras?”. Caso a pessoa não dê algum brinde como doces ou dinheiro, as crianças fazem alguma travessura na sua casa.

Vejam só:

  1. As crianças, através das comemorações do HELLOWEEN, são iniciadas em práticas de bruxaria, sem perceber.

2. As crianças são induzidas e incentivadas a achar normal fantasiarem-se, ou até mesmo se familiarizarem, com o medonho, o terrível e o infernal: bruxas, zumbis, caveiras, monstros, vampiros etc. O que há de edificante, de construtivo e engraçado nisto?

3. As crianças são ensinadas a ameaçar as pessoas que não atendem as suas vontades, intimidando-as com ameaças ou atitudes agressivas: “DOCES OU TRAVESSURAS”.

Doces ou Travessuras” (“trick or treat”) significa: “Você me dá o doce… ou então vai sofrer com as consequências das minhas travessuras”.

Quando a criança se tornar jovem ela irá a casa de alguém e dirá: Você não me deve nada, nem tem a obrigação de me dar nada… Porém, se não me der o que estou pedindo, você vai sofrer as consequências por não ter dado o que pedi!

Não podemos ser tão inocentes para pensar que Halloween é uma festinha inocente e inofensiva. Não é por acaso que ela também é chamada de “Festa das Bruxas”.

Vejam mais algumas crendices e práticas perniciosas contidas nos Símbolos do Halloween. Há muito de demonismo, magia, bruxaria, feitiçaria e crendices.

O Dia da Comemoração A comemoração é feita no fim do verão devido a crença de que na noite do dia 31 de Outubro os espíritos dos mortos visitariam esse mundo. Por isso, acendia-se uma fogueira e fantasias eram usadas com o objetivo de assustar e espantar esses espíritos. 

As Máscaras e Fantasias: Os Celtas creditavam que no dia do Halloween máscaras e fantasias ajudavam a enganar os espíritos, que não reconheciam os humanos, e continuavam vagando pelo mundo sem incomodar.

A Lanterna de Abóbora Conhecida como “Lanterna Abóbora halloween de Jack-O-Lantern. Tem sua origem emum conto celta sobre um rapaz que foi proibido de entrar no céu e no inferno, condenado a vaguear pela escuridão eterna com uma lanterna feita de um nabo entalhado com uma brasa de carvão dentro… E ele vaga eternamente com sua lanterna em busca de descanso.

Na Europa, os países de origem celta entalhavam nabos durante o Halloween, e inseriam velas no interior, assim como o Jack da lenda. Isso era feito para afastar o fantasma de Jack e outros espíritos, de suas casas.

A tradição dos celtas de inserir velas em nabos ocos foi levada para os Estados Unidos, onde as abóboras grandes e macias se tornaram a melhor opção. O costume, que antes se limitava a entalhar rostos nas abóboras e ilumina-las, atualmente envolve diversos formatos. Foi apenas na América que a abóbora passou a ser entalhada e se tornou em um grande símbolo do Halloween.

Você sabe quais os motivos que contribuíram para que a “Abóbora Halloween” chegasse a ser um símbolo tão importante, ser tão divulgado nos Estados Unidos da América e está nas portas das casas, nos jardins, nas praças, nos prédios públicos e privados, e espalhada em quase todos os lugares?

São várias as razões, mas vou destacar as mais importantes a meu ver: 1. O povo americano tem se afastado muito de Deus e da Bíblia.

  1. O crescimento do Liberalismo Teológico e do Ecumenismo.
  2. O Sincretismo Religioso e a Postura do “Politicamente Correto”
  3. O Deus do Americano é o DOLAR – É A ABÓBORA!

A “Abóbora Halloween” é um dos motivos mais fortes de tudo isso ter acontecido e continuar acontecendo. É muito lamentável admitir e muito simples constatar: Na América do Norte o mês de Outubro é a melhor época para colher abóboras. (São bilhões de Dólares que são gerados por esta festa de bruxaria e insanidades).

Halloween, além de ser bruxaria (Festa das bruxas), é também uma enorme fonte de lucro financeiro.

Halloween (Festa das Bruxas) explora a insensatez e a ignorância religiosa das pessoas, levando-as a fazer e a participar de uma das festas mais ridículas e diabólicas do mundo.

Lembremo-nos: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores” (I Timóteo 6:10),

Na América esta festa é tão divulgada que até em alguns Templos Cristãos, por incrível que pareça, alguns chegam a ser ornamentados utilizando os símbolos do Halloween, da “Festa das Bruxas”.

Isto é lamentável, vergonhoso, incoerente. Mas mostra também o quanto muitas Igrejas que se denominam Cristãs estão distanciadas de Deus e dos ensinamentos da Bíblia Sagrada.

“Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa. (Deuteronômio 18:9-14)

Pais e mães tementes a Deus, genuinamente convertidos, obedientes a Palavra de Deus, comprometidos com a verdade: Não se iludam com as chamadas “festas folclóricas” muitas delas veem travestidas de festas meramente culturais. Porém, na verdade, são festas religiosas e pagãs, em que são invocados mortos, venerados os chamados santos, exaltadas as bruxas e admirados os zumbis, etc.

Halloween não é apenas uma festa de manifestações populares e folclóricas. Esta “Festa das Bruxas” reúne rituais e crendices resultantes de um sincretismo religioso e de um cristianismo deturpado pela idolatria travestida de “folclore”. “E não é de admirar, porquanto o próprio Satanás se disfarça (se transfigura) em anjo de luz. (II Coríntios 11:14).

A Palavra de Deus nos adverte com muita objetividade e clareza, dizendo: “Guardai-vos para que o vosso coração não se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e os adoreis” (Deut. 11:16). “Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos” (Deuteronômio 17:9).

Fazer festas invocando mortos, espíritos. Participar de uma festa seguindo uma temática sombria e macabra de bruxas, caveiras, esqueletos, morcegos, demônios e zumbis, é abominação, é sortilégio.

“Meus amados, deveis fugir da idolatria… Mas que digo? Que o sacrifício ao ídolo é alguma coisa? Ou que o ídolo é alguma coisa? Digo que as coisas que eles sacrificam, sacrificam-nas a demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber do cálice do Senhor e do cálice de demônios; não podeis participar da mesa do Senhor e da mesa de demônios” (I Corintios 10:14,19-21).

Estou muito preocupado e bastante decepcionado com alguns pais que se dizem crentes em Cristo Jesus, mas estão se deixando levar pelas festas idólatras, festas de bruxarias, festas invocando mortos, e praticando abominação.

Seria bom que os pais de hoje, que se dizem cristãos, tementes a Deus, fizessem como o justo Jó: “Homem íntegro e reto, que temia a Deus e se desviava do mal” (Jó 1:1). Jó era o tipo de pai que se preocupava com o tipo de festa em que seus filhos participavam. Ele não incentivava seus filhos a participar de festas pagãs de bruxarias, idolatrias, invocação de mortos e magias. Na verdade sucedia que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, Jó levantando-se de madrugada, oferecia holocaustos por cada um dos seus filhos; “pois dizia Jó: Talvez meus filhos tenham pecado, e blasfemado de Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente” (Jó 1:5).

Queridos pais, não basta ter filhos brilhantes, sociáveis, de mente aberta. Mas, além de tudo isto, precisamos ter filhos salvos por Jesus Cristo e consagrados a Deus. O maior legado que devemos deixar para nossos filhos é a fé viva em Jesus Cristo.

Não geramos filhos para serem mundanizados, corrompidos e manipulados pela idolatria, pelas bruxarias ou pelas feitiçarias.

NÃO GERAMOS FILHOS PARA POVOAR O INFERNO.

GERAMOS FILHOS PARA POVOAR O CÉU

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Pr. Brito

Pastor Presidente da IEBV.

Os comentários estão desativados.