Minoria corruptas e corruptoras

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Vivemos em um momento dificílimo de nossa cultura, quando grande parte das pessoas não está sabendo fazer a diferença entre o que é certo e o que é errado. Estamos voltando ao tempo de “Sodoma” e a todo tipo de práticas sodomitas.

A propósito, lembrem-se também qual foi o fim de Sodoma: Depravação, multiplicação da imoralidade, corrupção moral, depravação sexual, violência e destruição total.

O nosso povo está sendo dirigido por minorias perigosíssimas e com altíssimo nível de periculosidade. Umas lideranças corruptas e corruptoras com capacidades diabólicas e manipuladoras de explorar um povo que se deixa enganar com muita facilidade por:

Minorias corruptas no poder executivo;

Minorias corruptas no poder legislativo;

Minorias corruptas no poder judiciário;

Minorias corruptas nas forças armadas e nas polícias;

Minorias corruptas na indústria e no comércio;

Minorias corruptas nos meios de comunicação, na mídia;

Minorias corruptas, depravadas, imorais, de falsos intelectuais;

Minorias corruptas, destruidoras e perseguidoras da família, compostas por pessoas que “dizendo-se sábias, toraram-se estultas”, como diz o Apóstolo Paulo em Romanos 1: 18-32 (Leia e entenderá).

A verdade é que nosso povo está vivendo em meio a um emaranhado de ideias contraditórias, uma confusão generalizada, e “no meio de uma geração corrompida e perversa” (Filipenses 2:15), onde a ditadura da imoralidade, da depravação moral e da falta de ética já está instalada e se tornando cada dia mais ameaçadora e impiedosa para com todos os que não se curvam diante dela.

Assim como os crimes passionais costumam ser marcados pela extrema violência e crueldade, assim também as ditaduras da imoralidade, da depravação moral e da falta de ética geralmente tornam-se as mais radicais e violentas.

Vejam um exemplo de violência da Ditadura da imoralidade: O que antigamente era crime de “Atentado ao pudor” agora é arte imposta e amparada por lei.

Assim, em nome da arte, espaços públicos são utilizados para a exposição de pessoas nuas em nossos museus, onde crianças são conduzidas e estimuladas a tocar e/ou manipular qualquer órgão, membro ou parte do corpo nu que queiram… Trazendo constrangimento a famílias e também pessoas dignas que frequentam ou trabalham nos museus e que discordam de tais práticas.

Em muitas escolas públicas municipais e estaduais já foram abolidas as comemorações do “Dia dos Pais” e do “Dia das Mães”. O conceito Bíblico de Família (Judáico/Cristão) está sendo destruído e/ou desconstruído, de forma sorrateira e maliciosa, para dar lugar à oficialmente denominada “Política Cultura LGBTI”.

*&*&*&*&*&*&*&*&*&**&*&*&*&*&*&*&*

 

Vejam agora a nova ação destas minorias que se denominam de LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e intersexuais), e o que conseguiram aprovar recentemente em Brasília, no Distrito Federal:

PORTARIA N° 277, de 28 de Setembro de 2017

Publicada no Diário Oficial do Distrito Federal

N° 188, sexta-feira, 29 de Setembro de 2017 – Páginas 20 e 21

Esta portaria institui a Política Cultura LGBTI, para fortalecimento, valorização e fomento da cultura LGBTI do Distrito Federal.

O SECRETÁRIO DE ESTADO DE CULTURA DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o inciso III do parágrafo único do art. 105 da Lei Orgânica do Distrito Federal, RESOLVE:

ART. 1° – Fica instituída a Política Cultura LGBTI, que visa fortalecimento, valorização e fomento da cultura lésbica, gay, bissexual, transexual, travesti e intersexual  –  LGBTI, suas expressões artísticas e culturais e suas cadeias produtivas no campo da diversidade cultural do Distrito Federal e Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno – RIDE.

ART. 2° – A Secretaria de Estado de Cultura deve promover, gerar e apoiar as ações da Política Cultural LGBTI, com a participação social e em articulação com os outros órgãos e entidades públicas privadas.

*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*

Este é o País dos “direitos iguais”?

Com este tipo de lei, estamos debaixo da Ditadura do LGBTI!

Gostaria de saber se:

Cabe ao Estado “Instituir a Política Cultural LGBTI” como Política Oficial do Estado? E as outras Políticas Culturais? Passam a ser SUBPOLÍTICAS e SUBCULTURAS?

Cabe ao Estado “o dever de promover, gerar e apoiar as ações da Política Cultural LGBTI”?  Se  é o Estado que tem o “dever de promover” também terá o dever de custear, subsidiar, pagar as contas?

Cabe ao Estado “gerar” as ações da Política Cultural LGBTI? Será o Estado o gerador?

Cabe ao Estado usar a Secretaria de Estado de Cultura para com seus recursos fazer “articulação com os outros órgãos e entidades públicas privadas”  para promover, gerar e apoiar as ações da Política Cultural LGBTI?

Então se o Estado “institui”, “promove”, “fortalece”, “valoriza”, “gera” e faz articulações da “Política Cultura LGBTI”.

Realmente estamos debaixo de uma DITADURA LGBTI.

Onde está o respeito ao Direito, aos princípios e filosofias da nossa Constituição Federal que exige o tratamento igualitário entre pessoas e, sobretudo, a não discriminação de qualquer forma de opção religiosa, sexual e racial?

O maior problema é que a minoria LGBTI não quer ou luta pela igualdade, ela está interessada e trabalha para impor, e agora manter a DITADURA LGBTI.

Por que os grupos LGBTI merecem e têm políticas específicas, leis especiais e privilegiadas?

Por que os Heterossexuais tem que aceitar políticas de privilégios para os grupos LGBTI?

SABE O QUE MAIS ME PREOCUPA E ME IMPRESSIONA?

Não é a maldade, a sagacidade, a falta de ética e a ausência de pudor dos maus.

Não é a ação perniciosa dos maus, mas sim a omissão dos bons.

O que mais me preocupa e me impressiona é:

A acomodação dos que podiam fazer o bem e não fazem,

A inércia dos que podiam combater o mal e não combatem,

A indiferença dos que deviam defender os valores morais e não defendem,

A irresponsabilidade dos que podiam condenar os erros e não condenam,

   O medo dos que deviam evitar as injustiças, mas se acovardam diante das lutas.

 

DEVEMOS E VAMOS LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS, PELOS NOSSOS VALORES E PELA NOSSA FÉ, POIS “AQUELE QUE SABE FAZER O BEM E NÃO O FAZ, COMETE PECADO” (Tg. 4:17).

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Pr. Brito

Pastor Presidente da IEBV.

Os comentários estão desativados.