Ser Pai é coisa seríssima!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Ser pai, não é fácil. Mas é um grande privilégio. E todo grande privilégio, traz consigo grandes responsabilidades.

A rigor, ser pai é simplesmente ter filhas ou filhos. Na verdade, todo homem fisicamente normal, em tese, pode ser pai.

Mas a questão principal, não é meramente ser pai. E sim ser um pai consciente, responsável, sóbrio, confiável, que sirva de exemplo, referência, orgulho e inspiração para seus filhos.

Ser pai não se restringe ao fato de ter uma casa, uma esposa e alguns filhos. Ser pai é ter um lar equilibrado, onde pai e mãe permanecem unidos vivendo em amor, com responsabilidade e com a consciência de que devem proporcionar um ambiente, o mais propício possível, a fim de que seus filhos nasçam, cresçam, desenvolvam-se sendo tratados com muito amor, zelo, carinho, respeito, disciplina, sendo ensinados a  honrar pai e mãe, respeitar o próximo e, acima de tudo, aprendendo a louvar, amar e servir a Deus.

Ser pai de verdade, é proporcionar aos filhos, através de uma educação cristã sadia e equilibrada, dando-lhes exemplos relevantes e dignos de vida e atitudes, para que cresçam e se desenvolvam fisicamente, emocionalmente, intelectualmente, moralmente, socialmente e espiritualmente sadios, e se tornem pessoas produtivas, trabalhadoras, equilibradas, úteis à sociedade e que se coloquem conscientemente como instrumentos abençoados e abençoadores nas mãos de Deus.

 Portanto, é necessário que tenhamos a consciência de que:

Ser pai, no sentido de ser simplesmente reprodutor, qualquer animal irracional também pode ser. Aliás, existem pais (animais) irracionais, que são muito melhores do que alguns pais (homens) que são animais racionais, mas que agem como animais irracionais perversos e pervertidos. São pais drogados, pedófilos, agressores, violentadores e estupradores dos próprios filhos e filhas.

Ser pai, no sentido de simplesmente colocar filhos no mundo, qualquer irresponsável pode ser, basta encontrar mulheres igualmente irresponsáveis.

Ser pai, de uma criança que você, ajudou a gerar, mas depois se nega a reconhecer a paternidade, qualquer moleque inconsequente, também pode ser.

Ser pai, e abandonar os filhos aos cuidados da mãe, deixando-os de forma irresponsável, qualquer safado pode ser.

Ser pai, e entregar a responsabilidade para que os avós cuidem e sustentem os filhos que você gerou, é ser um explorador descarado. Um “sangue-suga” desavergonhado. Explorador e aproveitador.

Ser pai, e não honrar, não respeitar e não ser fiel à mãe que você mesmo escolheu e deu a seus filhos, é também desonrar, desrespeitar e ser infiel para com os seus filhos. É muito difícil, para qualquer bom filho, amar a quem maltrata, trai e desrespeita a sua mãe.

Ser pai solteiro, pai de filho adulterino ou pai de filho de mãe solteira, é demonstração clara de muita irresponsabilidade, de que não estava preparado para ser pai, ou não leva a sério o ser um pai, e ignora qual é o seu verdadeiro papel.

Ser pai, e não se esforçar para dar aos filhos um lar equilibrado, onde reine a compreensão, o respeito e o amor, é uma gravíssima irresponsabilidade.

Ser pai, e abandonar, por motivos fúteis, a mãe dos seus filhos, desfazendo o casamento, dissolvendo o lar, por ter se tornado um mau marido, um péssimo esposo, agindo com imaturidade, deslealdade, traição, praticando adultério e aventuras amorosas ilícitas, além de perder toda moral diante dos filhos, passa também a ser razão de desequilíbrio para toda família, com consequências gravíssimas e incalculáveis.

Ser pai, e não disciplinar os filhos quando merecem ser disciplinados, é criar filhos rebeldes, desaforados e indisciplinados. É ser irresponsavelmente permissivo.

Ser pai, e não dar amor aos filhos significa criar pessoas emocionalmente carentes, inseguras e problemáticas.

Ser pai, e não exercer autoridade condizente com a missão de ser pai é omissão seríssima que gera filhos desobedientes, desequilibrados, rebeldes, desrespeitosos e insubmissos.

Ser pai requer assumir a posição de homem. Ser pai é deixar bem nítida a figura de sua hombridade e de sua masculinidade, a fim de que os filhos e filhas possam ter uma imagem correta e sadia do que é ser homem, e assim também não se deixem influenciar pelos desvios sexuais doentios, mas sejam como Deus os fez. E Deus criou o homem (macho) e a mulher (fêmea). Portanto, filho deve ser homem e filha deve ser mulher… As outras “opções” não são de Deus… São desvios doentios, comportamentos perversos, paixões infames (Romanos 1:24-32).

Ser pai é ser homem de verdade, ter postura varonil, ser referencial, ser exemplo, exercer autoridade, ser honrado, ser responsável e ser respeitável.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

2 respostas para Ser Pai é coisa seríssima!

  1. Olá, como vai ?
    vimos sua puplicação e achamos que poderia ser pertinente
    colocar em nosso site:
    para conferir clique ou copie o link abaixo:
    http://planosdesaudehdm.com.br
    Um grande abraço.

  2. Comunicação IEBV diz:

    Será um prazer ter o site publicado no site de vocês! Deus abençoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *